Eslovênia – Uma mão cheia de história

Artefatos arqueológicos (entre eles o mais antiga flauta encontrada na Europa ) mostram que o que é hoje o território esloveno foi habitado na Idade da Pedra. Um recipiente usado em rituais conhecido como o bronze de Situla de Vace é uma prova de que as artes e artesanato podem datar desde a Idade de Ferro Inicial.

A urbanização veio nos primeiros séculos D. C. com os romanos, que deixaram sua marca na região, legando os nomes de algumas regiões, como Celeia (Celje) e Poetovio (Ptuj).

Nos 6 º e 7 º séculos o território foi povoado por povos eslavos. O primeiro estado eslavo tinha o  territória  de  60.000 quilômetros quadrados – Carantania, foi fundada, com os chefes democraticamente eleitos.

Sob a influência dos francos e, mais tarde os alemães, o território unificado foi dividido em terras hereditárias (Kranjska / Carniola, Koroska / Caríntia, Štajerska / Estíria e Goriška / Goerz) detidas por várias famílias aristocráticas, e estas perderam estes territórios para os Habsburgos.

Apesar de germanização considerável, durante a reforma da nação nascente eslovena, foram traduzidas e impressas  a bíblia e  foi escrito o primeiro currículo escolar. Este processo se intensificou nas províncias da  Ilíria com a  Imperatriz Maria Teresa e Napoleão, época em que Liubliana foi capital de um território com um milhão e meio de habitantes.

Com o poeta romântico, França Prešeren, os eslovenos chamaram a atenção para si.  Com o declínio do império austro-húngaro e depois de cerca de 70 anos de convivência em duas Iugoslávias, o povo esloveno realizou  seu sonho e em 1991 fundou um estado independente.

Fonte: Slovenia, Ed. Mladinska knjiga