Ouvi falar que o leste europeu é conhecido por ser racista. Você poderia me falar um pouco sobre o racismo e o preconceito na Eslovênia?

Ouvi falar que o leste europeu é conhecido por ser racista. Você poderia me falar um pouco sobre o racismo e o preconceito na Eslovênia? Um turista negro, brasileiro poderá experienciar situações desagradáveis relacionados a tais fatores?
A pergunta foi feita por um leitor do blog.

No país há muitos estudantes que vieram de Cuba, da República Dominicana e de diferentes países na África. Na antiga Iugoslávia era uma prática muito comum do governo, ofertar bolsas de estudos para jovens provenientes de países pobres. Muitos africanos vieram para o país, o mais célebre entre eles é Peter Bossman, nascido em Gana,  veio para Eslovênia para estudar medicina e hoje é prefeito de Piran, a mais linda cidade da costa eslovena. Quanto mais turístico for o local, maior será o preparo dos atendentes de comércio e restaurantes e melhor  será o atendimento designado ao turista.  A Eslovênia recebe mais de 2 milhões de turistas por ano! Em Liubliana é possível deparar-se com pessoas de todo o mundo.

Conheço várias pessoas negras, mulatas e brasileiras que moram aqui, algumas delas frequentam minha casa e dizem que sentem-se muito bem na Eslovênia e possuem uma vida bastante social.  Pedi à 6 amigos brasileiros que me contassem se haviam sido vítimas de racismo na Eslovênia, eis o que eles responderam:

“Não acho que todo o leste europeu  seja racista. Acho que há pessoas idiotas em todo lugar.”

“Também não devemos generalizar.  Na minha cidade, acho que sou a única negra e percebo que as pessoas me olham curiosas, mas sempre muito simpáticas e educadas.”

“Eu não sofri nenhum tipo de preconceito. Na verdade, na maioria das vezes  sou muito bem tratada. Uma vez, na feira, briguei com uma atendente que vendia lulas. Ela era um pouco racista, mas não só pela cor, acredito que não gostava de estrangeiros ou de pessoas que não sabiam falar o idioma esloveno. Geralmente ganho presentes dos atendentes e sou muito bem tratada, o mesmo acontece no meu trabalho.”

“Minha mãe já sofreu preconceito no ônibus, o motorista foi grosso com ela. Ela brigou com ele no idioma português (risos). Em outra ocasião, uma mulher empurrou minha mãe no ônibus, mas ela novamente enfrentou a mulher.  Também lembro que fiscais de ônibus já deixaram de conferir a passagem de minha mãe e foram simpáticos conosco.”

“Eu vou ser bem sincera com você, ainda não fui vítima de racismo.”

“Moro no interior e por ser negra chamo muita atenção, mas nunca senti ameaçada ou escutei nenhum tipo de comentário maldoso.  Meu marido é muito protetor e me conta tudo. Nunca o ouvi falar que tenham falado da minha cor.”

“Esse negócio de racismo depende muito do ponto de vista da pessoa. Se ela se sentir um pato fora da lagoa poderá sofrer mais.  Comigo isso não acontece! Eu sou muito ousada!”

“Aqui eu me sinto bem, não costumo ser intimidada por olhares porque acho que o mundo é para todos e não me deixo intimidar por nada!”

“Encontrei poucas pessoas preconceituosas, a maioria das pessoas são gente boa. Eu sou bastante comunicativa e isso é fácil para quebrar o gelo. Onde eu moro já conheço muitas pessoas e estas falam comigo.”

“Eu particularmente acho os mais velhos mais racista que os jovens.”

“Eu adoro uma polêmica. Sou negro, tenho uma filha negra e vivo aqui há 6 anos.  4 anos vivi em Piran, onde o prefeito é negro e vivi muitos atos que considero racistas.  Hoje moro em Liubliana, capital eslovena,  tenho muitos amigos negros e sem puxar o saco de ninguém digo:  Existe sim racismo na Eslovênia.  Eu meus amigos já saímos na ‘parada’ aqui por conta do racismo. É igual no Brasil, é no mundo todo minha gente!”

“Acho que racismo existe em todos os lugares. Eu diria que na Eslovênia tem menos que racismo que na Croácia,  Itália, Áustria, Alemanha …. Na minha experiência, a Eslovênia tem menos racismo que todos os outros países da Europa. Gostaria de acrescentar que lugares turísticos como bares e restaurantes há ainda menor chance de você presenciar atos de racismo. Penso que ser  mulato é um fator mais positivo do que negativo em minha vida na Eslovênia.”

“Acho que no Brasil, o preconceito é beeeem maior. Eu nunca me senti vítima de racismo na Eslovênia, nem em lugares turísticos, nem no meu dia-a-dia”.

“Aqui sou muito paquerada”.

Devo acrescentar que os eslovenos adoram o povo brasileiro, tem no imaginário que somos um povo alegre e por isso quando descobrem nossa nacionalidade, na grande maioria das vezes tratam-nos com receptividade e curiosidade. Entretanto nem tudo é um mar de rosas e seria insensato dizer que aqui  todas as pessoas convivem de maneira respeitosa e harmoniosa. Um lugar assim talvez só exista no paraíso celestial bíblico, a realidade terrena tem nos desapontado.

Há na Eslovênia, como em todos os países europeus, grupos de jovens neonazistas e há 4 anos atrás ouvi que eles agrediram jovens cubanos, homossexuais e ativistas. Acredito sim, que há negros que sejam vítimas de preconceito na Eslovênia, mas não condenaria toda uma comunidade por conta de atos de indivíduos imbecis.

Faço minhas, as palavras ditas pelo professor historiador Leandro Karnal na palestra Ódio no Brasil:

Talvez uma evidência do gênero humano é a absoluta democracia de como a imbecilidade foi distribuída pela humanidade. Ou seja nenhum grupo, nenhuma etnia, nenhuma classe social, nenhum período histórico foi mais ou menos imbecil do que outro (…).

Após 6 anos e meio morando aqui e mantendo contato com várias pessoas negras, noto que a grande maioria tem uma visão bastante positiva do país, fazendo-me crer que um turista negro se sentirá bem na Eslovênia.

Leia mais…
. Eslovênia tem seu primeiro prefeito negro

8 Respostas para “Ouvi falar que o leste europeu é conhecido por ser racista. Você poderia me falar um pouco sobre o racismo e o preconceito na Eslovênia?

  1. Eu e minhas filhas somos mulatas, vivemos em uma vila próxima a Šmarje Pri Jelšah fazem 3 anos. Sempre fomos tratadas muito bem, na escola quando minhas filhas começaram as outras crianças olhavam encantadas, e qdo dizemos que somos brasileiras sempre vem a exclamação: OOOH BRAZILJA, LEPO!!! É como foi citado racismo existe infelizmente em todo lugar. Porém aqui graças a Deus nunca me deparei com nenhuma situação!! São sempre muito gentis, educados !!! 👍

  2. Olá,boa tarde. Estou pensando em passar um tempo em um país do leste europeu. Sou negra , estou fazendo um apanhado e gostaria de opiniões. Já estou aposentada. Não falo outra língua.

      • Na verdade penso em buscar coisas diferentes. Distanciar um pouco do Brasil. Sentir como é estar em um lugar bem diferente . Conhecer pessoas….lugares.

      • Eu não conheço todo o leste europeu. A Eslovênia é um bom lugar para viver, se busca tranquilidade, natureza, se gosta de frio…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s