A Eslovênia é um presente para os olhos

Este texto foi escrito em inglês pelo esloveno Bogdan Kladnik, fotógrafo e praticante de esportes radicais.  Tentei traduzir em português porque gostei da maneira apaixonada que ele fala de seu país.

Há pouco tempo atrás, eu estava em uma conferência, com especialistas de todo o mundo, das mais diferentes companhias. Após a palestra, eles começaram a se apresentar dizendo de onde eram: Canadá, Suíça, Estados Unidos, China, Eslovênia…

Eslovênia? “Onde está a Eslovênia na terra?” Alguém perguntou inquisitivamente quando eu estava falando sobre minha origem.

“Eu conheço!”. Declarou triunfantemente meu novo conhecido dos Estados Unidos.

“Eu já estive lá!”. “Ela está no meio do caminho entre Veneza  e Viena! Um pequeno país, não mais que um duas horas dirigindo.  Infelizmente, eu só dirigi através dela, mas é um país muito atraente para mim. Com um mundo de florestas”.

“A Eslovênia é realmente linda!” Nós  somos considerado o terceiro país com mais florestas na Europa – imediatamente depois da Finlândia e da Suécia. Além disso, nossas floresta tem bastante diversidade de várzeas, florestas de carvalhos, de florestas de pinos austríacos, de bosques de lariço… . Devido ao nosso manejo sustentável, as florestas eslovenas são de fato atrativas”

“Nós temos orgulho de termos algumas florestas ainda virgens, habitadas por uma grande quantidade de carnívoros como ursos, linces e um alguns lobos…”

Comecei a explicar para meus companheiros sobre a minha terra natal, a Eslovênia, que é certamente um pequeno país, mas único, pitoresco cheio de diversidade.

Falei sobre os grandes desfiladeiros de pedras e trilhas isoladas; a lenda de Goldenhorn; a região de Triglav – a mais alta montanha eslovena, e um importante símbolo para nós eslovenos, que fizemos deste lugar o nosso brasão nacional. Nestas montanhas e vales você pode sentir uma maravilhosa fragrância de feno no verão, no outono você pode sentir a tranquilidade no Vale de Trenta, o mergulho das sombras ao redor das montanhas.

Falei também de quantos variados prados temos e que deles podemos ouvir cotovias e grilos durante o verão; sobre os aconchegantes e pequenos morros com pomares e plantações de vinho, onde as pessoas locais com alegria te convidam para saborear o primeiro vinho da safra – o orgulho deles; sobre os fluxos dos rios bramindo nos profundos desfiladeiros ou preguiçosamente vagueando as planícies; sobre as torrentes  e os cursos de águas onde as árvores de almieiro refletem seus ramos, onde sapos estão coaxando e libélulas voam incansavelmente e onde você pode ver com um pouco de sorte uma lontra brincalhona.

Mencionei que conheci no silêncio das cavernas, o misterioso mundo de Karst, intermitentes lagos e um raro peixe-humano que vive na eterna escuridão. Falei do mar  que ruge sobre as paredes íngremes ao longo dos nossos quarenta quilômetros  de costa e de como o sal ainda está sendo colhido sob o sol ardente como há séculos atrás. E falei sobre o cheiro do mar, do óleo de oliva, dos campos de milho, dos bandos de ovelhas, do solo arável e do mel;
e sobre a imensa e levemente melancólica lua, nascendo nos meses de verão sobre as planícies do rio Mura.

“Você realmente ama sua Eslovênia, considerando o que você nos falou com inacreditável entusiasmo!”. Eu me senti levemente embaraçado quando meu novo colega interrompeu o meu monólogo.

E admiti: Quando eu começo a falar sobre minha terra natal e seus incontáveis e belos recantos, eu devaneio. Este pedaço de terra comprimido entre o Alpes e o Mediterrâneo, entre a  planície de Pannonian e Dinarudes é de fato algo especial. Não somente devido a sua excepcional diversidade, bem como sua preservada natureza, mas também devido a seu passado e a herança cultural. Não foi por coincidência que os arqueologistas encontraram na Eslovênia o mais velho dos instrumentos do mundo – a flauta de osso, atribuída a um músico da era Neanderthal.

Cultura e criatividade – isto é que temos nós eslovenos. Que adquirimos nosso moderno e independente estado somente em 1991. Uma autêntica nação que ao longo da sua história foi governada por estrangeiros.

Para o grande fazer dos poetas e dos apaixonados, nós temos persistido em nossa linguagem e isto é uma característica especial – dual forma. “Jaz (eu) –  midva (dois de nós) – mi (nós)!” A peculiaridade linguística diz sobre nosso caráter.

Como a diversa é a natureza eslovena, diversa é seus dialetos, sua cozinha, arquiteturas e costumes, sua  arte moderna, sua criatividade está inspirando  o desenho dos mosaicos ricos de diversidade.

Hoje, o mundo é somente um, uma vila global. Leões africanos, the Grand Canyon in Colorado, baleias, os Himalaias e a mais moderna arte exibida em Paris – tudo pode ser visto de maneira cômoda na nossa sala de estar, nas TVs, nos monitores de computadores.

Isto é porque com os tempos esquecemos, devido a multidão do mundo de atrações e de criativos arquivos fornecidos pela mídia, que uma vida genuína é feita  grandes e interessantes coisas – todos vocês precisam fazer uma curta jornada e descobrir isso.

A Eslovênia foi feita para este e muitos propósitos! Tudo está na mão. Na manhã você pode esquiar pelos planaltos de neve, a tarde você pode mergulhar seus pés no mar, e ainda se não for o bastante, você pode caminhar dentro de algumas pitorescas cavernas cheia de joias calcite e contínua escuridão, onde não será  problema quando o sol de pôr do lado de fora.

E se você tiver tempo, é realmente agradável, simplesmente vaguear sem rumo pelos murmúrios das florestas, pelas velhas estradas de carros, de chácaras, onde você pode sentir o cheiro dos mais variados tipos de maçã e de pera nos meses de outono. Você poderá ver velhas e pequenas igrejas que permanecem como que virtualmente em todo pequeno morro em cada vilarejo como uma joia de arte dos séculos passados. Poderá observar também  estreitas e pequenas ruas das cidades medievais, o passado dos velhos castelos com histórias sobre desejo por poder e lutas entre famílias de nobres. Ou sobre o desapontamento do amor, a filha do lorde do castelo que se transformou em uma cobra e sobre um terrível dragão que foi conquistado pelo corajoso pastor de ovelhas.

Eslovênia é um presente aos olhos! Basta olhar para o topo do Monte Triglav com suas infindáveis sequências de rochas cimeiras; para os pescadores alegres na pausa do dia enquanto contemplam as suas  redes cheias de peixe (mullets); para as divertidas garotas por seus namorados aos pés do monumento do poeta France Prešeren no centro de Liubliana ou os cavalos Lipizzan nos prados de Karst….

A Eslovênia acorda com os cantos dos pássaros, com o eterno silêncio das florestas cheias de neves, com o murmúrios dos vapores das montanhas, dos campos de girassóis e das cegonhas fazendo ninhos no topo das velhas chaminé, com a face plácida e sábia e o calor das mãos de uma avozinha falando para o sol nos bancos em frente a sua chácara.

Eslovênia é ainda muito mais que tudo isso –  temos que descobrir por nós mesmo, ganhar conhecimento e crescer com ele. Então, ele irá ser seu pão. Você nunca irá se sentir cansado disso. E se você estiver longe de casa, da Eslovênia, você sentirá saudades, e ela, machucará seu coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s