Depoimento da Margarete

OLA BOA NOITE A TODOS OLHE SEI QUE MUITOS VÃO ME CRITICAR POR EU FALAR QUE PENSO MORO AQUI NA ESLOVÊNIA FAZ 15 ANOS SABE AQUI E REALMENTE LINDO A NATURESA AS TRADIÇÕES SO TODO MUNDO FALA MAL DO BRASIL MAIS NO BRASIL MESMO COM CRIZE AS PESSOAS SÃO BEM EDUCADAS AQUI ESTA EM CRISE NÃO SOMENTE FINANCEIRO TAMBÉM NA EDUCAÇÃO OJE FIQUEI MUITO TRISTE COM UMA SENA QUE VI UMA SENHORA DE PELO MENOS 70 ANOS VENDENDO SALADA NA PORTA DE UMA FARMACIA ELA FOI TÃO MAL TRATADA PELA JERENTE QUE SAIU EM LAGRIMAS AQUI SE VC NÃO FALA ESLOVENO NIMGUEM TE DA ATENÇÃO SEI PORQUE SOFRI NA PELE NO BRASIL SE CHEGA HUM TURISTA E ATENDIDO MUITO BEM TAMBÉM POR ESPERIENCIA PORQUE ESTIVE EM SALVADOR EM CURITIBA COM 60 ESLOVENOS A TRABALHO TODOS FALARÃO MUITO BEM DO BRASIL NÃO OUVE ROUBO TODOS TEVERAO A LIBERDADE DE SAIR CONHECER SEM PLOBLEMAS AQUI SE VC TEM ALGUM PLOBLEMA NÃO PODE CONTAR NEM COM O NOSO CONSULADO BRASILEIRO TODOS SABEMOS QUE NO BRASIL TEM MUITOS CRIMES ROUBOS MAIS A ESLOVÊNIA NÃO ESTA LONJE DE CHEGAR A FICAR COMO HUM BRASIL TAMBEM ESPERO QUE ME ENTENDAO FOI HUM MODO DE DESABAFAR E TAMBEM MOSTRAR QUE NOSO BRASIL NÃO E TÃO PERIGOSO COMO MOSTRAM AQUI NOS FILMES NAS REPORTAJE QUE SEMPRE ESTO VENDO SO MOSTRAM FAVELAS CRIMES NÃO MOSTRAO AS LINDAS PRAIAS A NATURESA OS PARQUES FICO MUITO TRISTE COM ISO BOA NOITE A TODOS !!!

Oi Margarete,

Eu acho que este preconceito está muito mais relacionado com a classe social do que com o fato da pessoa ser estrangeira. Duvido que um estrangeiro rico seria maltratado pela gerente de uma loja eslovena. No Brasil isso não é diferente! Somos simpáticos com os estrangeiros que pensamos ter maior poder aquisitivo do que a gente, mas já ouvi tantas piadas de mal gosto contra os bolivianos pobres que vem aqui trabalhar em condições lastimáveis. É também verdade que cansei de ver nordestinos sendo humilhados ou sendo motivos de chacota por paulistas da classe média. E isso conheci de perto, morei 17 anos em uma cidade conhecida por receber imigrantes, trabalhadores do corte de cana. Havia na escola a classe A,  destinada aos  filhos das famílias locais e de classe média e a classe B,  em que estudavam os imigrantes, negros e pobres.

No Brasil quando não queria ser incomodada por vendedores em lojas do shopping eu sempre ia “mal vestida”, os vendedores mal olhavam na minha cara, não me ofereciam produtos e eu tinha paz. Já repeti o mesmo teste aqui e o resultado foi o mesmo. Se estou vestida de maneira elegante, bem maquiada e bem penteada a atenção que recebo é outra. Gente arrogante e insensível existe em todos os países que visitei. Se aqui uma senhora foi expulsa da loja por vender salada, digo  que ouvi histórias parecidas no Brasil.

Também acho curiosa a diferente receptividade que tive ao estudar na Faculdade de Medicina de Liubliana com psiquiatras e psicólogos (conhecidos pela inteligência, pois para ingressar na faculdade precisam ter as mais altas notas de aprovação na conclusão do Ensino Médio) e ao estudar na Faculdade Católica junto com alunas da sociologia, teologia. O pessoal da teologia desde o começo tratou-me com tanto carinho que eu dizia ao Mitja que sentia-me no Brasil. Já com o pessoal da Faculdade de Medicina fiquei diversas vezes assustada com a pretensão e arrogância com que falavam não só comigo, mas com outros colegas. Acredito que a arrogância neste caso esteja mais relacionada a posição de “suposto saber” do que ao fato de eu ser ou não estrangeira. O mesmo relato já tive de uma colega que estudava com  alunos filhos da elite paulistana, no curso de medicina  da USP.

Meu marido, um esloveno, hospedou há 7 anos atrás, em seu pequeno apartamento 3 jogadores de futebol da Gâmbia quando estes perderam o emprego e o visto não pode ser renovado. Primeiro ele e outros ativistas tiraram estes gambianos da cadeia, ação que envolveu a diplomacia dos dois países. Essa é a história do meu marido, mas conheço muitos outros eslovenos hospitaleiros. É também verdade que não esqueço da cara feia que um motorista me fez quando eu não soube pedir informação de forma correta, ou de uma atendente de uma lanchonete que não entendeu meu pedido.

Guardo comigo a frase de Luís Fernando Veríssimo “Uma pessoa que é boa com você, mas grosseira com o garçom, não pode ser uma boa pessoa”.

Sobre os noticiários eslovenos concordo com você,  sobre o Brasil, só vi aqui notícias sobre conflitos em favelas, corrupção e Copa do Mundo. Minha amiga colombiana que mora na Eslovênia diz o mesmo. Da Colômbia nós só temos notícias das ações da FARC e do tráfico de drogas.  Outra vez digo-lhe isso não é característica do povo esloveno ou europeu, a mídia brasileira não se comporta de forma diferente. Nunca vi os telejornais brasileiros mostrarem as paradisíacas praias colombianas,  sua natureza, sua indústria têxtil. Dá mesma maneira, sobre todo o continente africano só ouço falar de pobreza, seca, animais selvagens, AIDS, crianças morrendo de fome e  danças. É o que Chimamanda Adichie chama de “o perigo da uma única história“. No vídeo abaixo, ela ilustra de maneira magnífica que este não é apenas um problema da mídia eslovena ou brasileira, mas sim da imprensa mundial.

O documentário abaixo também ilustra o problema da insistência da mídia em estereotipar um povo.

4 Respostas para “Depoimento da Margarete

  1. A PERGUNTA É : DESDE QUAMDO A PORTA DA FARMÁCIA É LUGAR DE VENDER SALADAS?
    O TAL GERENTE É RESPONSÁVEL PELO ESTABELECIMENTO E SERÁ DURAMENTE COBRADO PELOS DONOS QUE CERTAMENTE IRÃO DESPEDI-LO SE ESTE NÃO FOR CAPAZ DE MANTER O MÍNIMO DE ORDEM NA PORTA DE SEU ESTABELECIMENTO.
    ISTO NÃO SE TRATA DE RACISMO E SIM DE MANTER O DIFICIL EMPREGO QUE O CIDADÃO ESLOVENO ESTAVA DEFENDENDO.
    TENHO LOJA NO BRASIL A 25 ANOS E VEJO DIARIAMENTE A MESMA ATITUDE CITADA PELA MARGARETE, …”DEIXA ELE PEDIR DINHEIRO NA PORTA DE SUA LOJA”…. E O QUE EU FAÇO COM AS 7 PESSOAS DE CARTEIRA ASSINADA “COM CONTRATO”,
    DEVO MANDA-LAS PARA RUA E DEIXAR O MENDIGO SUJO E FEDORENTO EXERCER SEU PLENO DIREITO DE MENDIGAR NA PORTA DE MINHA LOJA?
    É SEMPRE A MESMA ESTÓRIA :
    QUEM ESTÁ sendo realmente racista aqui?
    atenciosamente
    RICARDO SANTOS

  2. Concordo com o Ricardo é preciso manter as pessoas conforme a CLT, mas o problema é uma questão social, na verdade se a coisa continuar assim não adianta “mandar o mendigo embora” da porta do seu estabelecimento porque certamente aparecerá outro e mais outro, e o que realmente devera ser realizado é o governo olhar mais para as bases educacionais para que as pessoas conseguissem galgar uma oportunidade futura, infelizmente a muitas injustiças e o dinheiro que deveria ir para a educação vai para o bolso de corruptos, As mudanças vem ocorrendo no Brasil como a lei da ficha limpa e agora a prisão dos lideres do mensalão tomara que sirva de exemplo aos outros corruptos. Mass isso é uma história que todo mundo já sabe. Infelizmente é assim no Brasil se dá muito pouco valor ao estudo, muito diferente da eslovênia que tem um dos melhores índices de educação do mundo. Estive na eslovênia a passeio e não acreditei a nossa colega Katja disse que poderiamos andar de madrugada pela cidade sem medo , passeamos a noite toda com tranquilidade. Isso realmente não tem preço, Não arriscaria fazer isso aqui em Florianópolis onde moro certamente seria arriscado!
    Também há muita coisa que a mídia exagera, existem sim inúmeros problemas, transporte urbano ineficiente, roubo, etc…e os turistas estrangeiros vem para cá com uma ideia diferente, mas quando conhecem as praias, as pessoas mudam de concepção em relação a nossa realidade.
    Abraço a todos

  3. Snh.Ricardo Santos, c.e.o. pois li seu comentario e ate meio sem palavras fiquei , com as fortes palavras em que descreveu uma pobre pessoa em qual nao tem a mesma medida de vida em que voce tem nem menos a condicao financeira em qual uns temos , pois e , ja em o Senhor ou como posso lhe chamar , descreveu uma pessoa que realmente nao tem as mesma condicoes de vida em que o ” Senhor” tenha isso nao se da o direito de ser maltratada em partes concordo que mendingos nao deveriao pedirem em portas de qualquer estabelecimentos , eu vivi no Brasil sei como e , moro na Eslovenia a 15 anos tambem sei como e aqui mais fica a pergunta oque levou a uma pessoa como o senhor mesmo se refiriu ” mendingo , fedido , sujo ..” a pedir ajuda ao povo , pois na krize que estao alguns paises hoje , e uma forma de se ajudar , e hoje em dia se um nao ajudarmos aos outros e complicado , e outro todos nos somos iguais e temos aos mesmos direitos , nao por o senhor ter uma qualidade menhor financeira que pode tratar os de menos assim e se o nomearlos desta forma ! Passe um bom dia ! Margarete !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s