Os exilados – Zygmunt Bauman

O escritor Zygmunt Bauman descreve em seu livro “Modernidade Líquida” um pouco do que é viver em outro país.

“Criar (e também descobrir) significa sempre quebrar uma regra; seguir a regra é mera rotina, mais do mesmo – não um ato de criação. Para o exilado, romper regras não é uma questão de livre escolha, mas uma eventualidade que não pode ser evitada. Os exilados não sabem o bastante sobre as regras que reinam em seu país de chegada, nem as tratam com suficiente fervor para que seus esforços para observá-las e conformar-se a elas sejam percebidos como sérios e aprovados. (…) Por ação ou omissão, quebrar as regras se torna a  marca registrada dos exilados. Dificilmente isso os fará queridos pelos nativos dos países pelos quais fazem seus itinerários. Mas, paradoxalmente, também lhes permite trazer para todos os países envolvidos dons de que eles muito precisam e que não poderiam receber de outras fontes.”